Sudorese post-mortem: relato de caso

Eliane Helena Alvim de Souza

Resumo


O enforcamento é o meio mais adotado por homens e mulheres na prática do suicídio. Assim, o objetivo do presente estudo foi apresentar relato de um caso de suicídio por enforcamento, onde ocorreu processo de sudorese post-mortem em indivíduo adulto do sexo masculino. Os dados relatados foram extraídos de laudo elaborado por perito criminal do Instituto de Criminalística de Pernambuco Prof. Armando Samico. Além dos sinais clássicos previstos na literatura como relaxamento de esfíncteres e sulcos em torno do pescoço, chamou atenção a sudorese evidenciada após afrouxamento do laço horas após a morte, por ocasião do trabalho pericial. A ocorrência do fenômeno evidenciado deve ser investigada em mortes da mesma natureza e estudos devem ser conduzidos no sentido de melhor explicá-lo por se tratar de fenômeno raro para o qual inexiste uma explicação possível.


Palavras-chave


Asfixia; Sudorese; Suicídio

Texto completo:

PDF

Referências


M.C.S. Minayo, L.W Pinto, S.G Assis, F.G. Cavalcante, R.M.N. Mangas. Trends in suicide mortality among Brazilian adults and elderly, 1980-2006. Rev. Saúde Pública 46(2), 300-309, 2012.

V.A. Boumba, N. Kourkoumelis, P. Gousia, V. Economou, C. Papadopoulou, T. Vougiouklakis. Modeling microbial ethanol production by E. coli under aerobic/ anaerobic conditions: Applicability to real postmortem cases and to postmortem blood derived microbial cultures. Forensic Science International 232, 191-198, 2013.

D. Dias, M.C. Mendonça, F. Corte Real, D. N. Vieira, H.M. Teixeira. Suicides in the Centre of Portugal: Seven years analysis. Forensic Science International 234, 22-28, 2014.

C. Lardi; S. Vogt; S. Pollak; A. Thierauf. Complex suicide with homemade nicotine patches. Forensic Science International 236, 14-18, 2013.

M. Todt, F. Ast, R. Wolff-Maras, B. Roesler, T. Germerott. Suicide by drowning: A forensic challenge. Forensic Science International 240, 22-24, 2014.

J.L. Hesketh, A.G. Castro. Fatores correlacionados com a tentativa de suicídio. Rev. Saúde Pública 12(2), 138-146, 1978.

C.P. Retamal, D. Humphreys. Occurrence of suicide and seasonal variation. Rev. Saúde Pública, 32(5), 408-412, 1998.

L. Marín-León; M.B.A. Barros. Mortes por suicídio: diferenças de gênero e nível socioeconômico. Rev. Saúde Pública 37(3), 357-363, 2003.

S.N. Meneghel, C.G. Victora, N.M.X. Faria, L.A. Carvalho, J.W. Falk. Epidemiological aspects of suicide in Rio Grande do Sul, Brazil. Rev. Saúde Pública 38(6), 1-6, 2004.

G. Duthé, A. Hazard, A. Kensey, J.L.P.K. Shon. Suicide among male prisoners in France: A prospective population-based study. Forensic Science International 233(1-3), 273-277, 2013.

A.C. Guyton. Tratado de fisiologia humana. Elsevier Brasil, 1066, 2006.

A. Ludwig. Perícia em local de crime. Ultra, Brasil, 51, 1996.

M. Silva, I.T.P. Cavielli. Compêndio de Odontologia Legal. São Paulo:Medsi, 490p, 1997.

M.V.S. Barros. Fenômenos abióticos consecutivos. Disponível em: Acesso em: 02/06/2018.

P.R. Silveira. Fundamentos de Medicina Legal. 2.ed., Rio de Janeiro: Lumen Juris, 638p, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v7i2.273

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.