Análise do Conhecimento Sobre Entomologia Forense dos Profissionais da Segurança Pública das Cidades do Sertão Pernambucano

Plínio Pereira Gomes Júnior, Maria Eugênia Oliveira Barbosa, Almery Pereira Ferreira Patriota, Maria Andressa Nicácio Lima

Resumo


A entomologia forense usa os insetos como determinantes na elucidação de questões criminais. Evidências de insetos demostram a identidade do cadáver, se o mesmo foi movido para algum local, maus tratos, tráfico de entorpecentes, danos a bens imóveis, contaminação de materiais e produtos estocados, dentre outros. O presente trabalho objetivou analisar o conhecimento dos profissionais de segurança pública das cidades do sertão pernambucano de quatro repartições: as Polícias Federal, Civil, Militar e o Corpo de Bombeiros de duas cidades do interior, Salgueiro onde foi realizado o levantamento nas quatro repartições e São José do Egito que restringiu aos profissionais da Civil. Em vista disso, foi possível presumir que esses profissionais não possuem o devido conhecimento necessário na área da entomologia forense, já que esta ciência é imprescindível e que não se detêm apenas aos peritos. Entretanto, essa modalidade de estudo vem crescendo e despertando bastante interesse devido à facilidade na elucidação de questões criminais no âmbito policial.


Palavras-chave


Policiais, Crime, Avaliação, Perícia.

Texto completo:

PDF

Referências


J.C.A. Correia. Divulgação da Entomologia Forense Através do Estudo dos Arthropoda (Insecta). Universidade Federal de Pernambuco, Congresso Nacional de Educação, 18 a 20 de setembro de 2014.

M.F.C. Caneparo et al. Entomologia médico-criminal. Estud. Biol., Ambiente Divers. 34(83): 215-223 (2012).

Penteado, et al. Reconhecimento e Identificação das Principais Famílias de Insetos de Importância Quarentenária Associados a Materiais de Propagação e/ou Madeira. Embrapa Florestas, Colombo, PR (2009).

P. Castillo, C. Sanabria, F. Monroy. Insectos de importancia Forense en cadáveres de cerdo (Sus scrofa) en la paz Bolivia. Med. leg. Costa Rica 34(1) (2017).

C.S. Santana, D.S.V. Boas. Entomologia Forense: Insetos Auxiliando a Lei. Rev. Ceciliana 4(2): 31-34 (2011/2012).

Carreira, et al. Levantamento e caracterização da dipterofauna necrófaga em uma localidade de Brasília. Ciências da Saúde, Brasília 6(2): 87-102, (2008).

E.G. Silva. A entomologia forense como ferramenta para locais de crime no Rio Grande do Sul. Rer. IGP. 4 ,15-16, (2011).

V.C. Costa, P.H. Pavolak, R.A. Tozzo. Coleópteros de interesse na entomologia forense no Brasil, com ênfase nas principais famílias. Rev. F@pciência 11(6), 35 – 43 (2017).

J.R. Pujol-Luz, L.C. Arantes, R. Constantino. Cem anos da Entomologia Forense no Brasil (1908-2008). Rev. Bras. Ent. 52(4): 485-492 (2008).

COSTA, et al. Differential Diptera succession patterns onto partially burned and unburned pig carrion in southeastern Brazil. Braz. J. Biol. 74(4): 870-876 (2014).

Google maps, acessado em 04 de junho de 2018, disponível em www.google.com.br/maps.

G. Chaer, R.R.P. Diniz, E.A.A Ribeiro. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, Araxá 7(7): 251-266 (2011).

L.F.C. Barros, C.P.A. Soares. Entomologia Forense: Conhecimento dos Acadêmicos do Curso de Ciências Biológicas. Rev. Mirante 10(1): 44-53 (2017).

L.F. Lara, E.A.R. Campos, S.R. Stefano, S.M. Andrade. Relações De Gênero Na Polícia Militar: Narrativas De Mulheres Policiais. Holos 4: 56-77 (2017).

Costa, A. T. M.; Matos, M. J. S.; Santos, L. M. Os Novos Padrões de Seleção na Polícia Militar do Distrito Federal. Desigualdade & Diversidade – Rer. Ciências Sociais da PUC-Rio 11: 115-132 (2012).

E.P.G. Silva. Consultoria Legislativa, Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil – LOSP (2015).

W.E. SANTOS. Papel dos besouros (Insecta, Coleoptera) na Entomologia Forense. Rev. Bras. Crimin. 3(2): 36-40 (2014).

Y.R. Pastrana, Y.V. Díaz, M. Wolff. Insects of forensic importance associated to cadaveric decomposition in a rural area of the Andean Amazon, Caquetá, Colombia. Acta Amazonica 48(2): 126 – 136 (2018).

S.C. Voss, C.F. David, I.R. Dadour. Decomposition and insect succession of clothed and unclothed carcasses in Western Australia. Forensic Science International 211: 67–75 (2011).

G.F. Bornemissza, G. F. An analysis of arthropod sucession in carrion and the effect of its decomposition on the soil fauna. Aust. J. Zool. 5(1): 1-12 (1957).

MARTINS, E. Análise dos processos de decomposição e sucessão ecológica em carcaças de suíno (Sus scrofa L.) mortos por disparo de arma de fogo e overdose de cocaína e protocolo de procedimento diante de corpo de delito. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista, UNESP (2009).

J.C.A. Correia. Divulgação da Entomologia Forense Através do Estudo dos Arthropoda (Insecta). Universidade Federal de Pernambuco, Congresso Nacional de Educação, 18 a 20 de setembro de 2014.

M.F.C. Caneparo et al. Entomologia médico-criminal. Estud. Biol., Ambiente Divers. 34(83): 215-223 (2012).

Penteado, et al. Reconhecimento e Identificação das Principais Famílias de Insetos de Importância Quarentenária Associados a Materiais de Propagação e/ou Madeira. Embrapa Florestas, Colombo, PR (2009).

P. Castillo, C. Sanabria, F. Monroy. Insectos de importancia Forense en cadáveres de cerdo (Sus scrofa) en la paz Bolivia. Med. leg. Costa Rica 34(1) (2017).

C.S. Santana, D.S.V. Boas. Entomologia Forense: Insetos Auxiliando a Lei. Rev. Ceciliana 4(2): 31-34 (2011/2012).

Carreira, et al. Levantamento e caracterização da dipterofauna necrófaga em uma localidade de Brasília. Ciências da Saúde, Brasília 6(2): 87-102, (2008).

E.G. Silva. A entomologia forense como ferramenta para locais de crime no Rio Grande do Sul. Rer. IGP. 4 ,15-16, (2011).

V.C. Costa, P.H. Pavolak, R.A. Tozzo. Coleópteros de interesse na entomologia forense no Brasil, com ênfase nas principais famílias. Rev. F@pciência 11(6), 35 – 43 (2017).

J.R. Pujol-Luz, L.C. Arantes, R. Constantino. Cem anos da Entomologia Forense no Brasil (1908-2008). Rev. Bras. Ent. 52(4): 485-492 (2008).

COSTA, et al. Differential Diptera succession patterns onto partially burned and unburned pig carrion in southeastern Brazil. Braz. J. Biol. 74(4): 870-876 (2014).

Google maps, acessado em 04 de junho de 2018, disponível em www.google.com.br/maps.

G. Chaer, R.R.P. Diniz, E.A.A Ribeiro. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, Araxá 7(7): 251-266 (2011).

L.F.C. Barros, C.P.A. Soares. Entomologia Forense: Conhecimento dos Acadêmicos do Curso de Ciências Biológicas. Rev. Mirante 10(1): 44-53 (2017).

L.F. Lara, E.A.R. Campos, S.R. Stefano, S.M. Andrade. Relações De Gênero Na Polícia Militar: Narrativas De Mulheres Policiais. Holos 4: 56-77 (2017).

Costa, A. T. M.; Matos, M. J. S.; Santos, L. M. Os Novos Padrões de Seleção na Polícia Militar do Distrito Federal. Desigualdade & Diversidade – Rer. Ciências Sociais da PUC-Rio 11: 115-132 (2012).

E.P.G. Silva. Consultoria Legislativa, Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil – LOSP (2015).

W.E. SANTOS. Papel dos besouros (Insecta, Coleoptera) na Entomologia Forense. Rev. Bras. Crimin. 3(2): 36-40 (2014).

Y.R. Pastrana, Y.V. Díaz, M. Wolff. Insects of forensic importance associated to cadaveric decomposition in a rural area of the Andean Amazon, Caquetá, Colombia. Acta Amazonica 48(2): 126 – 136 (2018).

S.C. Voss, C.F. David, I.R. Dadour. Decomposition and insect succession of clothed and unclothed carcasses in Western Australia. Forensic Science International 211: 67–75 (2011).

G.F. Bornemissza, G. F. An analysis of arthropod sucession in carrion and the effect of its decomposition on the soil fauna. Aust. J. Zool. 5(1): 1-12 (1957).

MARTINS, E. Análise dos processos de decomposição e sucessão ecológica em carcaças de suíno (Sus scrofa L.) mortos por disparo de arma de fogo e overdose de cocaína e protocolo de procedimento diante de corpo de delito. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista, UNESP (2009).

J.C.A. Correia. Divulgação da Entomologia Forense Através do Estudo dos Arthropoda (Insecta). Universidade Federal de Pernambuco, Congresso Nacional de Educação, 18 a 20 de setembro de 2014.

M.F.C. Caneparo et al. Entomologia médico-criminal. Estud. Biol., Ambiente Divers. 34(83): 215-223 (2012).

Penteado, et al. Reconhecimento e Identificação das Principais Famílias de Insetos de Importância Quarentenária Associados a Materiais de Propagação e/ou Madeira. Embrapa Florestas, Colombo, PR (2009).

P. Castillo, C. Sanabria, F. Monroy. Insectos de importancia Forense en cadáveres de cerdo (Sus scrofa) en la paz Bolivia. Med. leg. Costa Rica 34(1) (2017).

C.S. Santana, D.S.V. Boas. Entomologia Forense: Insetos Auxiliando a Lei. Rev. Ceciliana 4(2): 31-34 (2011/2012).

Carreira, et al. Levantamento e caracterização da dipterofauna necrófaga em uma localidade de Brasília. Ciências da Saúde, Brasília 6(2): 87-102, (2008).

E.G. Silva. A entomologia forense como ferramenta para locais de crime no Rio Grande do Sul. Rer. IGP. 4 ,15-16, (2011).

V.C. Costa, P.H. Pavolak, R.A. Tozzo. Coleópteros de interesse na entomologia forense no Brasil, com ênfase nas principais famílias. Rev. F@pciência 11(6), 35 – 43 (2017).

J.R. Pujol-Luz, L.C. Arantes, R. Constantino. Cem anos da Entomologia Forense no Brasil (1908-2008). Rev. Bras. Ent. 52(4): 485-492 (2008).

COSTA, et al. Differential Diptera succession patterns onto partially burned and unburned pig carrion in southeastern Brazil. Braz. J. Biol. 74(4): 870-876 (2014).

Google maps, acessado em 04 de junho de 2018, disponível em www.google.com.br/maps.

G. Chaer, R.R.P. Diniz, E.A.A Ribeiro. A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência, Araxá 7(7): 251-266 (2011).

L.F.C. Barros, C.P.A. Soares. Entomologia Forense: Conhecimento dos Acadêmicos do Curso de Ciências Biológicas. Rev. Mirante 10(1): 44-53 (2017).

L.F. Lara, E.A.R. Campos, S.R. Stefano, S.M. Andrade. Relações De Gênero Na Polícia Militar: Narrativas De Mulheres Policiais. Holos 4: 56-77 (2017).

Costa, A. T. M.; Matos, M. J. S.; Santos, L. M. Os Novos Padrões de Seleção na Polícia Militar do Distrito Federal. Desigualdade & Diversidade – Rer. Ciências Sociais da PUC-Rio 11: 115-132 (2012).

E.P.G. Silva. Consultoria Legislativa, Comissão Especial destinada à elaboração da Lei Orgânica da Segurança Pública do Brasil – LOSP (2015).

W.E. SANTOS. Papel dos besouros (Insecta, Coleoptera) na Entomologia Forense. Rev. Bras. Crimin. 3(2): 36-40 (2014).

Y.R. Pastrana, Y.V. Díaz, M. Wolff. Insects of forensic importance associated to cadaveric decomposition in a rural area of the Andean Amazon, Caquetá, Colombia. Acta Amazonica 48(2): 126 – 136 (2018).

S.C. Voss, C.F. David, I.R. Dadour. Decomposition and insect succession of clothed and unclothed carcasses in Western Australia. Forensic Science International 211: 67–75 (2011).

G.F. Bornemissza, G. F. An analysis of arthropod sucession in carrion and the effect of its decomposition on the soil fauna. Aust. J. Zool. 5(1): 1-12 (1957).

MARTINS, E. Análise dos processos de decomposição e sucessão ecológica em carcaças de suíno (Sus scrofa L.) mortos por disparo de arma de fogo e overdose de cocaína e protocolo de procedimento diante de corpo de delito. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual Paulista, UNESP (2009).




DOI: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v9i1.299

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.