Entomologia Forense: Oxelytrum discicolle (Brullé, 1840) (Coleoptera, Silphidae) em carcaça suína no município de Bento Gonçalves, Rio Grande do Sul, Brasil

Letícia Mattiello, Gabriela Vignatti, Liéven Peruzzo, Agnes Pozenato Pinto, Gabriela Bianca Pacheco, David Ramos Lombardi Mondoloni, Wilson Sampaio Azevedo Filho

Resumo


Oxelytrum discicolle é um representante importante da fauna de insetos associados a cadáveres com ocorrência no sul do Brasil. O objetivo do estudo foi avaliar a ocorrência de O. discicolle em carcaça de Sus scrofa no município de Bento Gonçalves/RS. O trabalho foi conduzido na Universidade de Caxias do Sul (Bento Gonçalves) entre os dias 5-24 de março de 2017. Como modelo animal foi utilizado um porco doméstico (13kg e 40-45 dias de vida). A carcaça foi disposta em decúbito lateral sob uma caixa de malha metálica rodeada por dez armadilhas de solo para a coleta de insetos. A decomposição da carcaça ocorreu por vinte dias, com valores médios de temperatura e de umidade relativa do ar igual a 21,9ºC e 67%. Foram coletados 297 espécimes ao longo dos quatro períodos de decomposição da carcaça: Coloração (I) iniciou no momento da morte e foi até o terceiro dia, com moderada atividade de insetos (seis espécimes); Gasoso (II) durou do quarto ao oitavo dia, caracterizado pelo aumento de indivíduos e pico da atividade dos insetos (146 espécimes); Coliquativo (III) teve início no nono dia com a completa deflação da carcaça e forte odor (84 espécimes); Esqueletização (IV) do décimo quinto dia, caracterizado pela diminuição do odor, até o vigésimo dia, onde os ossos já se encontravam expostos com a diminuição da ocorrência de insetos no local (61 espécimes). Oxelytrum discicolle é predominante em carcaça de S. scrofa em Bento Gonçalves, portanto o táxon representa um potencial indicador para estudos forenses.

Palavras-chave


Oxelytrum discicolle; Sus scrofa; Bento Gonçalves

Texto completo:

PDF

Referências


E.R. Paradela; A.L.S. Figueiredo; R. Gredi. Entomologia Forense: insetos aliados da lei. Jus Navigandi, 1537: 1-10 (2007).

M.F.C. Caneparo; R.C. Corrêa; K.M. Mise; L.M. Almeida. Entomologia médico-criminal. Estud. Biol., 34: 215-223 (2012).

T. Maschio; W.S. Azevedo Filho; M.M.C. Queiroz. Entomologia Forense no Rio Grande do Sul. In: G. Agostini; R.T.S. Ribeiro. (Org.). Ciências Forenses: ao alcance de todos. São Paulo: PerSe, Brasil (2015) 264-294.

E.G. Silva. A Entomologia Forense como ferramenta para locais de crime no Rio Grande do Sul. Rev. do IGP, 4: 13-16 (2011).

G.H.B. Miranda; K.A. Costa; J.R.P. Luz. Vestígios Entomológicos. In: J.A. Velho; K.A. Costa; C.T.M. Damasceno (eds.). Locais de crime. Campinas: Millenium editora, Brasil (2013) 125-150.

K.M. Mise; L.M. Almeida; M.O. Moura. Levantamento da fauna de Coleoptera que habita a carcaça de Sus scrofa L., em Curitiba. Rev. Bras. entomol., 51: 358-368 (2007).

D.H. Fockink. Identificação e síntese do feromônio sexual dos besouros necrófagos de interesse forense Oxelytrum discicolle e Oxelytrum erythrurum (Coleoptera: Silphidae). Dissertação de Mestrado. PPG/Química, Universidade Federal do Paraná, Curitiba (2013).

A. Oliva. A new species of Oxelytrum Gistel (Coleoptera, Silphidae) from southern Argentina, with a key to the species of the genus. ZooKeys, 203: 1-14 (2012).

L.A. Lira Júnior; E.S. Harterreiten-Souza; T.A. Bernardes; M.R. Frizzas; C.V.A. Pujol-Luz; J.R. Pujol-Luz. Atratividade de três diferentes iscas alimentares na captura de adultos de Oxelytrum discicolle (Brullé, 1840) (Coleoptera: Silphidae). Anais do XXV Congresso Brasileiro de Entomologia (2014).

Y. Velásquez; A.L. Viloria. Effects of temperature on the development of the Neotropical carrion beetle Oxelytrum discicolle (Brullé, 1840) (Coleoptera: Silphidae). Forensic Sci. Int., 185: 107-109 (2009).

J. Oliveira-Costa. Entomologia Forense e suas aplicações. In: J. Oliveira-Costa (org.). Entomologia Forense - quando os insetos são vestígios. 3. ed. Campinas: Millennium editora, Brasil (2013) 1-15.

P. Fiaschi; J.R. Pirani. Review of plant biogeographic studies in Brazil. J. Syst. Evol., 47: 477-496 (2009).

P.F. Leite; R.M. Klein. Vegetação. In: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Geografia do Brasil: Região Sul. 2ª ed. IBGE, Rio de Janeiro, Brasil (1990) 113-150.

M.B. Teixeira; A.B. Coura Neto; U. Pastore; A.L.R. Rangel Filho. Vegetação. In: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Levantamento dos Recursos Naturais. v. 33. Rio de Janeiro: IBGE, Brasil (1986) 541-632.

L.M. Almeida; K.M. Mise. Diagnosis and key of the main families and species of South American Coleoptera of forensic importance. Rev. Bras. entomol., 53: 227-244 (2009).

Accuweather. World class weather radar plus your up to the minute weather report and current conditions. Weather forecast, local to international (2017). Disponível em: . Acesso em: 5 março. 2017.

M.O. Moura; C.J.B. Carvalho; E.L.A. Monteiro-Filho. A preliminary analysis of insects of medico-legal importance in Curitiba, state of Paraná. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 92: 269-274 (1997).

M. Barreto; M.E. Burbano; P. Barreto. Flies (Calliphoridae, Muscidae) and beetles (Silphidae) from human cadavers in Cali, Colombia. Mem. Inst. Oswaldo Cruz, 97: 137-8 (2002).

P.S.F. Ferreira; E.M. Pires; R.N.C. Guedes; M. Mendes; L.A. Coelho. Seasonal abundance and sexual variation in morphometric traits of Oxelytrum discicolle (Brullé, 1840) (Coleoptera: Silphidae) in a Brazilian Atlantic Forest. Biota Neotrop., 6: 1-4 (2006).

A.S.B. Souza; F.D. Kirst; R.F. Krüger. Insects of forensic importance from Rio Grande do Sul state in southern Brazil. Rev. Bras. entomol. 52: 641-646 (2008).

J.R. Pujol-Luz; L.C. Arantes; R. Constantino. Cem anos da Entomologia Forense no Brasil (1908-2008). Rev. Bras. entomol., 52: 485-492 (2008).




DOI: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v9i1.332

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.