Requisições de rotina e testes colorimétricos empregados em Química Forense: do preparo das soluções à descrição dos fenômenos químicos.

Marcus de Abreu Farias Costa, Natilene Mesquita Brito

Resumo


Em virtude da crescente criminalidade e da necessidade da prova pericial para uma persecução penal eficaz, mais serviços têm sido demandados dos laboratórios de química forense. A imprescindibilidade de realização de todos esses exames, aliados à sua heterogeneidade e ao limitado tempo para emissão de resultados na forma de laudos periciais, requer, além de outras boas práticas de laboratório, que os variados procedimentos metodológicos estejam sistematicamente descritos e organizados, garantindo o rigor científico e a qualidade das análises. Este trabalho, além de proporcionar uma revisão acerca de algumas metodologias empregadas em exames amiúde requisitados pelas autoridades competentes, discute o significado dos resultados dos fenômenos químicos decorrentes de tais exames, o que é fundamental para garantir clareza ao laudo pericial. A atuação profissional do autor, bem como pesquisas em livros, artigos científicos, teses, dissertações e manual de bancada de instituição de perícia criminal de natureza oficial, foram as bases para a consecução deste trabalho.

Palavras-chave


Laboratório de química forense; exames de rotina; procedimentos metodológicos; reações químicas.

Texto completo:

PDF

Referências


FARIA, D. L. A. Espectroscopia vibracional. In: BRANCO, R. P. O. (Org.). Química forense sob olhares eletrônicos. Campinas: Millenium, 2013. p. 61 – 110.Tese de Doutorado, Departamento de Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2001);

INSTITUTO LABORATORIAL DE ANÁLISES FORENSES. Relatório de ocorrências do Instituto Laboratorial De Análises Forenses - 2016. Gestão 2015/2018. São Luís, 2017;

INSTITUTO LABORATORIAL DE ANÁLISES FORENSES. Relatório de ocorrências do Instituto Laboratorial De Análises Forenses - 2017. Gestão 2015/2018. São Luís, 2018;

COSTA, J. L.; BORDIN, D. C.; MESSIAS, M.; LANARO, R.; CAZENAVE, S. O. S. Análise forense: pesquisa de drogas vegetais interferentes de testes colorimétricos para identificação dos canabinoides da maconha (Cannabis sativa L.). Quim. Nova. V. 35, n. 10, p. 2040-2043, 2012;

UNODC. Recomended methods for the identifications and analysis of cannabis and cannabis products. Manual for use by national drug analysis laboratories. Viena, 2009;

ISAACS, R. C. A. A structure-reactivity relationship driven approach to the identification of a color test protocol for the presumptive indication of synthetic cannabimimetic drugs of abuse. Forensic Science International. 2014. Disponível em: . Acesso em: 20.06.2018;

CONCEIÇÃO, V. N.; SOUZA, L. M.; MERLO, B. B.; FILGUEIRAS, P. R.; POPPI, R. J.; ROMÃO, W. Estudo do teste de Scott via técnicas espectroscópicas: um método alternativo para diferenciar cloridrato de cocaína e seus adulterantes. Quim. Nova. v. 37, n. 9, 2014. Disponível em: . Acesso em 31 ago. 2018;

OGURI, K.; SACHIKO, W.; ETO, S.; YAMADA, H. Specificity and mechanism of the color reaction of cocaine with cobaltous thiocyanate. Jpn. J. Toxicol. Environ. Health. v. 41, n. 4, 1995;

DE OLIVEIRA, M. F.; ELEOTÉRIO, I. C.; VELHO, J. A. Análise de resíduos de disparos de armas de fogo. In: BRUNI, A. T.; VELHO, J. A.; DE OLIVEIRA, M. F. (Orgs.). Fundamentos de química forense: uma análise prática da química que soluciona crimes. Campinas: Millennium, 2012. Cap. 13, p. 227-245;

DIAS, N. A. Estudo sistemático da redução de nitrato por hidrazina para determinação de nitratos em águas e aditivos alimentícios, em fluxo. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciências da Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, São Paulo (2005);

PETRACO, N.; YANDER, M.; SARDONE, J. A method for the quantitative determination of nitrites in gunshot residue cases. Forensic Science International. 18. 1981;

MARANHÃO. Superintendência de Polícia Técnico-Científica. Pesquisa de nitrito. São Luís: [s.n., 20--];

MERCK. Giess-Ilosvay’s nitrite reagente. Merck Microbiology Manual. 12th ed;

MOTA, Larissa Campos. Detecção de resíduos de disparo de arma de fogo em larvas cadavéricas por ICP OES. 2018. 70f. Dissertação de Mestrado (área de concentração de Química Forense). Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória;

ZAPATA, F.; GARCÍA-RUIZ, C. Analysis of diferente materials subjected to open-air explosions in search of explosive traces by Raman microscopy. Forensic Science International. 275. 2017;

MORITA, Tokio; ASSUMPÇÃO, Rosely Maria Viegas. Manual de soluções, reagentes e solventes: padronização, preparação, purificação, indicadores de segurança, descarte de produtos químicos. 2. ed. São Paulo: Blucher, 2007;

MARANHÃO. Instituto Laboratorial de Análises Forenses – ILAF/MA. Testes químicos para identificação de insumos realizados no ILAF/MA. In: Serviço de Química Forense - QFO. Manual de Bancada. São Luís: [s.n., 2018];

SANTOS, J. S. Desenvolvimento e otimização de metodologias para a determinação de nitrogênio. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Agroquímica, Universidade Federal de Viçosa (2007);

UNITED NATIONS. Chemistry and reaction mechanisms of rapid tests for Drugs of abuse and precursors chemicals. Tübingen, 1989;

PEIXOTO, C. G. D.; COSTA, Y. L. S.; DE ARAUJO, A. S.; FERNANDES JUNIOR, V. J. Caracterização físico-química de óleo diesel rodoviário e marítimo por técnicas convencionais e destilação simulada por cromatografia gasosa. In: CONGRESSO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO, GÁS NATURAL E BIOCOMBUSTÍVEIS. 1. WORKSHOP DE ENGENHARIA DE PETRÓLEO. 3. Revista. [S.I.]. Realize, [20--];

BR. Ficha de informação de segurança de produto químico – fispq. Gasolina padrão. 2002. Disponível em: . Acesso em 13 set. 2018;

BRITO FILHO, Dilermando. Toxicologia humana e geral. 2. ed. Atheneu, 1988.




DOI: https://doi.org/10.15260/rbc.v9i2.336