Os dados reais versus a divulgação da mídia do perfil de apreensão de drogas ilícitas na Região Centro-Oeste de Minas Gerais

Fernanda Ferreira Machado, Alan Carvalho Caetano Moura, Thais Lorenna Souza Sales, Paula Lamounier Lima, Anna Carolina Moura Costa, Cristina Sanches, Farah Maria Drumond Chequer

Resumo


O consumo de drogas é um dos principais problemas de saúde pública. Os dados de apreensões de drogas ilícitas feitas pelas Polícias Federal, Estadual e Municipal fornecem dados indiretos do consumo de drogas e permitem traçar o perfil de uso dessas substâncias em uma determinada população. Este estudo teve como objetivo descrever o perfil de apreensão de drogas ilícitas na região Centro-Oeste de Minas Gerais, comparando as informações disponíveis na mídia com os dados reais fornecidos pela Perícia Criminal da Polícia Civil de Divinópolis-MG. É um estudo observacional descritivo realizado por meio da busca de reportagens que abordassem apreensões de drogas em cidades pertencentes à região Centro-Oeste de Minas Gerais e de dados secundários fornecidos pela Perícia Criminal acerca de Registros de Eventos da Defesa Social envolvendo drogas entre o período de 2017 e 2018. Dos 208 detidos identificados nas reportagens, 73,1% são do sexo masculino e 10,6% sexo feminino, com idade média de 21 anos. Dentre as drogas reportadas, a maconha foi a droga mais apreendida seguida pela cocaína e seus derivados. Apesar das maiores apreensões de drogas serem atribuídas pelas reportagens às regionais de Formiga e Bom Despacho, conforme as informações reais da Perícia Criminal, as regionais de Nova Serrana e Pará de Minas foram as com maiores apreensões. O perfil de apreensão de drogas torna-se um referencial importante para subsidiar o planejamento de políticas públicas conforme a real demanda, visando à prevenção do comércio e ao combate ao uso dessas substâncias.


Palavras-chave


Apreensão de Drogas; Drogas Ilícitas; Saúde Pública

Texto completo:

PDF

Referências


S.R. de Andrade; A.C.C. Martins.. O valor social do proerd e a educação como política pública de combate às drogas e à violência. Biblioteca Digital de Segurança Pública, Goiás, p. 1-5, 2019.

P.V.A. Di Nápoli; B.A. Chaibub. Polícias Militares x Drogas Psicotrópicas. Biblioteca Digital de Segurança Pública, Goiás, p. 1-21, 2019.

K.S. Foppe; D.R. Hammond-Weinberger; B. Subedi. Estimation of the consumption of illicit drugs during special events in two communities in Western Kentucky, USA using sewage epidemiology. Science of the Total Environmen, Amsterdã, p. 249-256, 2018.

B.A.R. Singulane; N.B. Silva; L.M.A. Sartes. Histórico e Fatores Associados à Criminalidade e Violência entre Dependentes de Crack. Psico-USF, Bragança Paulista, v. 21, n. 2, p. 395-407, 2016.

United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC). World Drug Report 2017. Booklet 2, Vienna: United Nations publication, 68 p., 2017. Retirado em 02/05/2019, de https://www.unodc.org/wdr2017/field/Booklet_2_HEALTH.pdf.

United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC). World Drug Report 2019. Booklet 2, Vienna: United Nations publication, 80 p., 2019. Retirado em 18/07/19, de https://wdr.unodc.org/wdr2019/prelaunch/WDR19_Booklet_2_DRUG_DEMAND.pdf

J.C.S. Raposo; A.C.Q. Costa; P.A.M. Valença; P.M. Zarzar; A.S. Diniz; V. Colares; C. França. Uso de drogas ilícitas e binge drinking entre estudantes adolescentes. Revista Saúde Pública, São Paulo, v. 51, p. 1-7, 2017.

P.P. Almeida; M.A.F.P. Novaes; R.A. Bressan; A.L.T. de Lacerda. Revisão: funcionamento executivo e uso de maconha. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 69-76, 2008.

L. A. R. V. Marques; M. A. L. Lotif; E. M. R. Neto; T. S. Dantas; J. L. Soares; J. A. de Melo; P. L. D. & Lobo. Abuso de drogas e suas consequências na saúde oral: uma revisão de literatura. Arquivo Brasileiro de Odontologia, Minas Gerais, v. 11, n. 1, p. 26-31, 2015.

J. Bose; S.L. Hedden; R.N. Lipari; E. Park-Lee. Key Substance Use and Mental Health Indicators in the United States: Results from the 2017 National Survey on Drug Use and Health. Rockville, MD: Center for Behavioral Health Statistics and Quality, Substance Abuse and Mental Health Services Administration, 2018.

E.L.A. Carlini; A.R. Noto; Z.V.D. Sanchez; C.M.A. Carlini; D.P. Locatelli; L.R. Abeid; T.C. Amato; E.S. Opaleye; C.S. Tondowski; Y.G. de Moura. VI Levantamento Nacional sobre o Consumo de Drogas Psicotrópicas entre Estudantes do Ensino Fundamental e Médio das Redes Pública e Privada de Ensino nas 27 Capitais Brasileiras – 2010. Brasília: Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas - CEBRID: Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP/Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (SENAD), 503 p., 2010.

A.R. Noto; J.C.F. Galduróz; S.A. Nappo; E.A. Carlini. Levantamento nacional sobre o uso de drogas entre crianças e adolescentes em situação de rua nas 27 capitais brasileiras - 2003. São Paulo: Centro Brasileiro de Informações Sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), 249 p., 2003.

F.I.P.M.V. Bastos; M.T.L. Boni; R.B. Reis; N.B. Coutinho, C.F. Souza. III Levantamento Nacional sobre o uso de drogas pela população brasileira. Rio de Janeiro: FIOCRUZ/ICICT, 2017. 528 p.

R. Laranjeira; C.S. Madruga; I. Pinsky; R. Caetano; S.S. Mitsuhiro. II Levantamento nacional de álcool e drogas (LENAD) - 2012. São Paulo: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Políticas Públicas de Álcool e Outras Drogas - INPAD/Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP, 85p., 2014.

P.C.A.V. Duarte; M.L.O.S. Formigoni. O uso de substâncias psicoativas no Brasil: módulo 1. Brasília: Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas, 11 ed., 146 p., 2017.

Brasil. Instituto de Segurança Pública. Governo do Estado do Rio de Janeiro. (2019). Retirado em 17/05/19, de http://www.isp.rj.gov.br/

United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC). World Drug Report 2018. Booklet 4, Vienna: United Nations publication, 62 p., 2018c. Retirado em: 08/05/19, de https://www.unodc.org/wdr2018/prelaunch/WDR18_Booklet_4_YOUTH.pdf

United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC). World Drug Report 2018. Booklet 2, Vienna: United Nations publication, 68 p., 2018a. Retirado em 02/05/19, de https://www.unodc.org/wdr2018/prelaunch/WDR18_Booklet_2_GLOBAL.pdf

N.T. Silva; M.E.M. Cardoso; D.O. Lopes; A.S. Silva; F.V. Lacerda; L.H.S. Oliveira; V.V.Souza. Prevalência de drogas aprendidas em um município do sul de Minas Gerais: análise de variáveis interferentes e propostas para a prevenção. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, Minas Gerais, v. 14, n. 1, p. 707-713, 2016.

United Nations Office on Drugs and Crime (UNODC). World Drug Report 2018. Booklet 3, Vienna: United Nations publication, 76 p., 2018b. Retirado em 08/05/19, de https://www.unodc.org/wdr2018/prelaunch/WDR18_Booklet_3_DRUG_MARKETS.pdf

Departamento de Justiça dos Estados Unidos. Administração de Repressão às Drogas. Drogas de Abuso. Estados Unidos, 94 p., 2017. Retirado em 08/05/19, de https://www.dea.gov/documents/2017/06/15/drugs-abuse

Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC). Campanha global sobre drogas. 2019b. Retirado em 08/05/19, de https://www.unodc.org/documents/lpo-brazil/Topics_drugs/Campanha-global-sobre-drogas/getthefacts11_PT_.pdf

H.M. Modesto Filho; B.A. Chaibub. Apreensão de drogas pela polícia militar do estado de goiás nos últimos anos. Biblioteca Digital de Segurança Pública Goiás, 2018.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Polícia Federal. Estatística de drogas apreendidas. (2017). Retirado em 08/03/2018, de http://www.pf.gov.br/imprensa/estatistica/drogas

C.R.A. Medeiros; V.M. Medeiros; M.I.G. Conceição. Mídia advocacy: alternativa de prevenção ao uso de drogas. Divulgação Científica e Tecnologica IFPB, v. 27, p. 72-80, 2015.

R. Figueiredo; M. Feffermann; R. Adorno. Drogas & sociedade contemporânea: perspectivas para além do Proibicionismo. São Paulo: Instituto de Saúde, 356 p., 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.15260/rbc.v9i2.446

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.