Desenvolvimento de metodologia de baixo custo para geração de amostras de resíduos de incêndio em solo usando etanol

Enzo Matheus Carmo da Silva, Alexandre Rota, Rodrigo Neiva, Nelice Costa, Bernardo Souza, Daniel Sousa

Resumo


Situações nas quais verifica-se a ocorrência de incêndios, infelizmente, estão presentes no cotidiano da sociedade moderna. Desse modo, surge, então, a necessidade de elucidar suas causas. Em incêndios dolosos, foco deste estudo, é comum o uso de acelerantes para facilitar a iniciação e propagação do fogo, sendo tais substâncias, geralmente, líquidos inflamáveis. A identificação do líquido inflamável usado como acelerante é uma etapa muito importante da perquirição de um incêndio; no entanto existem várias condições que podem dificultar a detecção de líquidos inflamáveis em locais de incêndios, sendo o tempo máximo para coleta, após a extinção do incêndio, uma das mais desafiadoras. Assim, buscou-se uma metodologia que possibilitasse a geração de amostras de padrões de incêndios. O presente trabalho tem como objetivo examinar os parâmetros que influenciam a detecção de etanol em solo, especialmente o intervalo de tempo máximo que permita a detecção do acelerante fazendo-se o uso de uma metodologia condizente com a realidade do país. Utilizou-se o Latossolo Vermelho como substrato, sendo possível detectar etanol até 72 horas em incêndios simulados, em todas as condições estudadas; fato que sugere que tal metodologia é promissora.


Palavras-chave


Resíduos de Incêndio; Incêndio Criminoso; Incêndio; Etanol; Acelerantes

Texto completo:

PDF

Referências


E. Stauffer; J. A. Dolan; R. Newman. Fire Debris Analysis. Academic Press (2007) 1-4.

D. A. Turner; J. Pichtel; Y. Rodenas; J. L. Mckillip; J. V. Goodpaster. Microbial Degradation of Gasoline in Soil : Comparison by Soil Type. J. Bioremed. Biodeg. 5: (2014).

D. A. Turner; J. V. Goodpaster. The effects of season and soil type on microbial degradation of gasoline residues from incendiary devices. Anal. Bioanal. Chem. 405: 1593–1599 (2013).

C. Martín-alberca; H. Carrascosa; I. San; L. Bartolomé; C. García-ruiz. Acid alteration of several ignitable liquids of potential use in arsons. Sci. Justice 58: 7-16 (2017).

C. Martín-alberca; F. E. Ortega-ojeda; C. García-ruiz. Analytical tools for the analysis of fire debris. A review: 2008-2015. Anal. Chim. Acta 928: 1–19 (2016).

B. Falatov; M. Ferreiro-gonz; C. Mart; Š. Galla; M. Palma; C. G. Barroso. Effects of Fire Suppression Agents and Weathering in the Analysis of Fire Debris by HS-MS eNose. J. Sens. 18: 1–11 (2018).

I. U. Eta; Y. S. Aito; K. T. Eraoka; H. M. Atsuura; K. F. Ujimura; K. J. Inno. Novel Fire Investigation Technique Using Needle Extraction in Gas Chromatography. Anal. Sci. 26: 1127-1132 (2010).

ASTM E1618-14, Standard Test Method for Ignitable Liquid Residues in Extracts from Fire Debris Samples by Gas Chromatography-Mass Spectrometry, ASTM International, West Conshohocken, PA, 2014, www.astm.org

Castelbuono, J. (2008). The Identification Of Ignitable Liquids In The Presence Of Pyrolysis Products: Generation Of A Pyrolysis Product Database. Florida, Estados Unidos da América: University of Central Florida. Fonte: https://stars.library.ucf.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=4626&context=etd.

INMETRO. (Agosto de 2011). PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO SOBRE ANÁLISE EM EMBALAGENS DESCARTÁVEIS DE ALUMÍNIO. Rio de Janeiro, Brasil. Fonte: .




DOI: https://doi.org/10.15260/rbc.v9i2.472