Suicídios por artefatos explosivos – estudo de casos

Claiton Pires Ventura, Michelle Moreira Machado, Flávia Armani de Vasconcellos

Resumo


A maioria das mortes provocadas por artefatos explosivos são de etiologia acidental, principalmente quando se trata de acidente de trabalho, porém podem ocorrer de modo intencional, como nos casos de homicídios em atentados terroristas e guerras, e também, em casos mais raros, nas tentativas de suicídio ou mesmo suicídio consumado. Os métodos de suicídio mais comuns são enforcamento, armas de fogo ou armas brancas, e envenenamento. O objetivo desse trabalho é relatar três casos de suicídios em que foram utilizados artefatos explosivos do tipo fogos de artifício. Nos três casos analisados houve predileção pelo posicionamento do instrumento na cabeça, havendo grande destruição da região. Além disso, os vestígios eram semelhantes no que tange às projeções sanguíneas, aos fragmentos de tecidos espalhados nos ambientes, tornando claro o resultado do efeito de explosão. Visto que são escassos na literatura os relatos de casos de suicídio em que foram utilizados os fogos de artifício como instrumento para provocar a morte, o presente artigo presta-se ao auxílio de estudos e atuação dos profissionais forenses.


Palavras-chave


artefatos explosivos, fogos de artifício, suicídio, local de crime

Texto completo:

PDF

Referências


E. M. M. Santos. O trabalhador pirotécnico de Santo Antônio do Monte e seu convívio diário com o risco de acidente súbito. Dissertação de Mestrado em Psicologia, Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte (2007).

J. M. Blanco-Pampín. Suicidal deaths using fireworks. J. Forensic Sci 46: 402-405 (2001).

W. C. L. Silva. Blast- efeitos da onda de choque no ser humano e nas estruturas. Dissertação de Mestrado em Ciências no curso de Engenharia Aeronáutica e Mecânica, Instituto Tecnológico de Aeronáutica (2007).

M. Varga; G. Csabai. A suicidal death by explosives. Int J Legal Med 105: 35-37 (1992).

L.B.E. Shields et al. Nonterrorist suicidal deaths involving explosives. Am J Forensic Med Pathol 24: 107-113 (2003).

M. A. Makhoba; L. D. Toit-Prinsloo. Self-inflicted explosive death by intra-oral detonation of a firecracker: a case report. Forensic Sci. Med. Pathol 13: 459-463 (2017).

I. Sayil et al. Attempted suicide in Ankara in1995. Crisis: 47-48 (1998).

L. P. Vieira; V. T. P. Santana; E. A. Suchara. Caracterização de tentativas de suicídios por substâncias exógenas. Cad. Saúde Colet. 23: 118-123 (2015).




DOI: https://doi.org/10.15260/rbc.v9i2.473